...
 
Buscar
  • Dr. João Mussi

Como funciona a artroscopia da mão e punho?

Técnica minimamente invasiva


A articulação que envolve a mão e o punho é complexa e para analisar o meio de

tratamento para lesões na região é necessário um diagnóstico preciso. A artroscopia da mão e punho consiste em um tipo de intervenção cirúrgica realizada em quadros de lesões

intra-articulares, ou seja, dentro de uma articulação. Geralmente, opta-se por essa cirurgia em casos de artrite, osteoartrite, cisto sinovial, lesões ligamentares e fraturas.


  • Artrite: a artrite é a inflamação da articulação das mãos e do punho responsável por causar dor nessa região, deformidade e dificuldade no movimento.

  • Osteoartrite: também conhecida como artrose, essa condição consiste em uma degeneração da cartilagem que protege o osso, afetando a articulação e também os ligamentos. A artrose causa dor na região afetada, dificuldade de movimento e inchaço.

  • Cisto sinovial: um cisto sinovial é uma protuberância no punho ou na mão que abriga líquido sinovial em seu interior, podendo causar dor intensa.

  • Lesões ligamentares: pequenas lesões que afetam a região do punho e da mão que podem gerar “travamentos”, ou seja, dificuldade no movimento e dor.

  • Fraturas: quaisquer fraturas que podem acometer a região e que sejam passíveis de tratamento por meio da artroscopia.


Além de ser utilizada para o tratamento dessas doenças, a artroscopia serve como um diagnóstico, uma vez que é considerada uma uma técnica pouco invasiva, segura e rápida.


Como funciona a artroscopia da mão e punho?


O procedimento é feito através de pequenas incisões no punho, onde uma será o meio

de transporte da cânula introduzindo o artroscópio enquanto a outra será o caminho dos

instrumentos que serão utilizados na cirurgia.


O responsável por fazer a cirurgia é o médico ortopedista especialista nesta região. A cirurgia costuma ser rápida, assim como a sua recuperação.


Como funciona o pós-operatório?


As incisões realizadas são fechadas com pontos e cobertas por curativos. O local da cirurgia é imobilizado a fim de limitar a movimentação e promover a rápida recuperação. Algumas sugestões são feitas para o paciente para que este colabore com o pós-operatório, como manter o local do curativo seco e não removê-la logo após o procedimento. Além disso, recomenda-se que o paciente faça um repouso relativo e que não exponha o local da cirurgia a nenhum risco.


Dependendo do caso, o médico pode recomendar que o paciente faça algumas sessões de fisioterapia para contribuir na recuperação. Nesses casos, a tala que foi colocada para imobilizar a mão do paciente será retirada e substituída por uma removível, possibilitando a realização dos exercícios. A fisioterapia, para além de contribuir com a recuperação, também ajuda a diminuir a rigidez da região.


E após a fisioterapia?


Após as sessões de fisioterapia, o paciente deve retornar ao médico especialista para avaliar seu caso. Ademais, o paciente não deve fazer uso de medicamentos para alívio da dor sem a prescrição do médico durante o processo.


Lembre-se sempre de consultar com um ortopedista especialista de mãos e punhos responsável para realizar a sua artroscopia.


90 visualizações0 comentário