Fratura de Metacarpo

Anatomia

Os metacarpos são os ossos localizadas entre os pequenos ossos do carpo e as falanges (dedos). Eles são cinco por mão sendo denominado de primeiro ao quinto de acordo com o dedo que ele está ligado sendo o primeiro metacarpo aquele do polegar e o quinto do dedo mínimo.

Eles são importantes para a mão pois eles provem um arco, tanto transverso como longitudinal cujo objetivo é otimização do movimento de preensão.

Figura 2: Fratura do Boxer

Quem está mais acometido?

As fraturas dos metacarpos podem ocorrer em todas as idades, porém os indivíduos mais propensos são os jovens, principalmente homens entre os 15 e 30 anos.

Qual é o mecanismo da lesão?

As fraturas do metacarpianos podem ocorrer desde traumas simples como uma queda da própria altura até traumas de maior intensidade como acidentes motociclísticos. O mecanismo de lesão vai determinar qual metacarpo está mais propenso a fraturar, como por exemplo:

 - Um soco (trauma axial sobre uma sobre a cabeça dos metacarpos) está mais propenso a fraturas do colo do quinto metacarpo, sendo a lesão mais comum - a fratura do boxer

(Figura 2)

- Um trauma direto sobre o dorso da mão pode provocar fraturas na região diafisária dos metacarpos (Figura 3)

- Um trauma no qual o polegar é esticado e sofre uma carga axial, pode levar a uma fratura-luxação de Bennett (Figura 4)

Figura 3 - Fratura do 3 e 4 metacarpiano diafisária 

Figura 4 - Fratura de Bennett

Clínica e exame físico

O Paciente com uma fratura de metacarpo geralmente apresenta com dor, dificuldade de movimentação dos dedos, hematoma, edema (inchaço) e deformidade na mão. Além disso, o paciente pode apresentar um desvio dos dedos o que corresponde a um desvio rotacional da fratura (Figura 5).

Figura 5: Mesmo paciente da figura 3 - Repare que, clinicamente, a fratura produziu um desvio rotacional acentuado do dedo médio e mais discreto no dedo anelar.

NOTA: A dor é um item subjetivo e não é incomum pessoas com boa tolerância a dor apresentarem uma fratura, por vezes grave, com poucos sintomas, fato que o faz demorar a procurar atendimento médico.

Diagnóstico

A suspeição da fratura é feita por uma história e exame físico, porém são necessários exames de imagem, inicialmente radiografias para a confirmação da fratura.  Em alguns casos, o seu cirurgião de mão pode solicitar uma tomografia computadorizada ou mesmo uma ressonância magnética, porém na maioria dos casos a radiografia é o único exame necessário para o diagnóstico e conduta

Tratamento

As fraturas dos metacarpos podem ser tratadas tanto de maneira conservadora, somente com imobilizações, como por tratamento cirúrgico. O que vai determinar um ou outro?

- Fraturas instáveis, ou seja, com tendência ao desvio dentro da imobilização é uma indicação de tratamento cirúrgico

- Fraturas desviadas nas quais o desvio ira causar alguma impotência funcional no futuro, sejam elas: desvios rotacionais, desvios angulares importantes ou mesmo encurtamentos são indicativos de tratamento cirúrgico

- Lesões abertas - as fraturas expostas - elas são de tratamento cirúrgico

Dentre outros

Para isso, seu cirurgião de mão vai orienta-lo sobre a indicação de tratamento conservador ou cirúrgico caso a caso.

Dentre as modalidades de tratamentos conservador, temos a imobilização com aparelhos gessado, talas gessadas e órteses sob medida (figura 6). O tratamento com as órteses costuma variar de 5 a 8 semanas geralmente.

Caso o seu cirurgião de mão opte por um tratamento cirúrgico, técnicas cirúrgicas variam conforme o osso fraturado, a fratura, a preferência do cirurgião e do paciente, podendo ser de redução da fratura sem precisar abrir a redução aberta e colocação de parafusos e/ou placas.

Eis abaixo alguns exemplos

Tratamento cirúrgico com fios de Kirshnner utilizando a técnica de Foucher para uma fratura do tipo Boxer

Tratamento com fios de Kirshnner para uma fratura de Bennett.

Tratamento com placa e parafusos para uma fratura diafisária em cunha espiral do terceiro e quarto metacarpo

Uma fratura obliqua do quinto metacarpo associada a fratura espiral do quarto metacarpo com a utilização de placa no quarto metacarpo e somente parafusos no quinto metacarpo.

R. Menino Deus, 63 , Sala 406

Centro - Florianópolis / SC
Cep: 88020-210

  • Grey Google Places Ícone
  • Grey Google+ Ícone
  • Cinza ícone do YouTube
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

Tels: (48) 3025-3223 | (48) 3012-3424 

Whats: (48) 99125-8585

©2018 idealizado pelo Dr. João Mussi. Criado por MKTEFFECT